top of page
  • Foto do escritorTNews

Coleta de catadores autônomos é 1,6 vez maior que a oficial no Brasil

Uma pesquisa da plataforma Cataki, aplicativo que une produtores de resíduos e catadores, mostrou que os coletores autônomos recolhem, em média, 7,5 toneladas de material reciclável por mês, cada um. De acordo com a Agência Brasil, o levantamento, que traça um perfil sociodemográfico e econômico, entrevistou 421 trabalhadores, dos quais 156 usam a plataforma.

O questionário foi aplicado em São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Com essa média de coleta, estima-se, por exemplo, que os 1,7 mil profissionais que usam o aplicativo em São Paulo recolhem 1,6 vez mais do que a coleta seletiva municipal oficial. O coordenador de advocacy da organização não governamental Pimp My Carroça, Carlos Thadeu Oliveira, que desenvolveu a plataforma, aponta que a estimativa é conservadora e que o impacto é ainda maior. Ele diz que apenas em São Paulo há entre 15 mil e 30 mil catadores informais. O dado foi projetado a partir de bases de densidade de habitantes por catador, considerando censos realizados em outras cidades, como Santo André e Porto Alegre. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Brasil tem pelo menos 800 mil catadores. O relatório lembra que o catador autônomo está na rua sem vínculo de emprego, em um cenário de trabalho duro e pouco receptivo por parte da sociedade. Nesse sentido, o levantamento mostra que metade dos usuários do Cataki entrevistados já foi impedida de entrar em estabelecimentos comerciais, 67% foram vítimas de preconceito e 63% apontam terem sido vigiados de perto por seguranças. Para os que não usam a plataforma, 26% disseram já ter tido a carroça apreendida pela prefeitura. Para os que estão cadastrados, 21% tiveram o instrumento de trabalho recolhido. A pesquisa completa pode ser encontrada no site da ONG Pimp My Carroça (https://pimpmycarroca.com/)


Imagem:

Rovena Rosa / Agência Brasil


Fonte:



1 visualização0 comentário
bottom of page