top of page
  • Foto do escritorTNews

Líder mundial na geração de energia limpa e renovável, Usina de Itaipu completa 40 anos de operações

A Itaipu completou ontem (5) 40 de anos do início da produção energética. O início das operações foi em 5 de maio de 1984, quando o técnico mineiro José Pereira do Nascimento, hoje aposentado, mas ainda residindo em Foz do Iguaçu, acionou a primeira máquina da usina, a Unidade 1. Desde então, a hidrelétrica de Itaipu, empreendimento binacional compartilhado por Brasil e Paraguai, já gerou mais de 3 bilhões de megawatts-hora (MWh), marca atingida também neste ano, no dia 10 de março.

Esse volume de energia é tão elevado que daria para abastecer o planeta inteiro por mais de 43 dias. Nenhuma outra usina no mundo acumulou a geração de tanta energia limpa e renovável, e esse montante dificilmente será superado nas próximas décadas por qualquer outra hidrelétrica. Depois da primeira unidade, outras foram entrando em operação ao longo dos anos seguintes, até a usina chegar a 18 unidades geradoras em 1991. Outras duas unidades geradoras foram implantadas em 2006 e 2007, completando a usina e fazendo com que sua capacidade instalada atingisse 14 mil megawatts (MW), número somente superado alguns anos atrás por uma hidrelétrica chinesa. Itaipu chegou a responder por 26% de todo o consumo de energia do Brasil, em 1997, e, mesmo após tanto tempo, ainda contribui com cerca de 10% da energia consumida pelo País.

No Paraguai, a energia de Itaipu é responsável pelo atendimento de 88% do consumo. Mais recentemente, com a entrada massiva de fontes renováveis no sistema elétrico brasileiro, como a eólica e a solar, Itaipu tem tido um papel ainda mais fundamental, funcionando como se fosse uma “bateria natural” que ajuda a compensar a variação natural que há na geração dessas fontes, chamadas por isso de intermitentes. Link para assistir ao documentário: https://www.youtube.com/watch?app=desktop&v=CE-68Iwkzd0


Imagem:

Divulgação


Fonte: Assessoria de Imprensa Itaipu



1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page