top of page
  • Foto do escritorTNews

Manutenção Leitos Extras

Em reunião de comitiva enviada à Brasília, a Secretaria de Saúde do Paraná pediu ao Ministério da Saúde que mantenha ativos, mesmo depois da pandemia, os 600 leitos de UTI habilitados no Paraná para o tratamento de pacientes com a covid-19. De acordo com o Governo do Estado, o custeio das UTIs abertas está garantido pelo Governo Federal apenas até dezembro deste ano.

A intenção é preservar a estrutura para atendimento a pacientes com outras doenças pelo menos por mais um ano. O Governo do Paraná também cobrou do Ministério da Saúde a publicação da portaria que dispõe sobre os recursos do SUS para as cirurgias eletivas. O estado não sabe quanto vai receber para os procedimentos no próximo ano. O Governo do Estado já anunciou o aporte de R$ 50 milhões em 2022 para os procedimentos cirúrgicos eletivos. Essa quantia é quatro vezes maior do que o repasse do Ministério da Saúde em 2019, de R$ 12 milhões. A estimativa da Secretaria Estadual de Saúde é de que os hospitais do SUS no estado levem três anos ou mais para zerar a fila de cirurgias eletivas acumuladas. Um levantamento do Programa Cirurgia Global e Mudança Social da Escola de Medicina de Harvard, divulgado pela Agência Brasil, mostrou que cerca de 1 milhão de cirurgias eletivas deixaram de ser feitas na pandemia no Brasil. A estimativa está baseada em dados do DataSUS e um modelo estatístico.


Imagem:

Adhy Savala


Fonte:



4 visualizações0 comentário
bottom of page