top of page
  • Foto do escritorTNews

Paraná transporta fígado de Santa Catarina para a RMC em apenas 30 minutos

Uma aeronave cedida pela Casa Militar do Paraná foi crucial para garantir o transplante de um fígado a um paciente na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) no dia 11/01/2023. O órgão foi transportado em apenas 30 minutos de um hospital no Litoral de Santa Catarina diretamente para o centro cirúrgico de outra instituição de saúde próxima da capital paranaense. Foi o terceiro transporte aéreo de órgãos realizado no Paraná nestes primeiros 11 dias de 2023 – o primeiro ajudou a buscar um órgão em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

A rapidez em deslocamentos como esse é fundamental para garantir o sucesso dos transplantes devido à conservação dos órgãos. No caso do fígado, o transplante precisa ocorrer em no máximo em 12 horas. Atualmente, o Sistema Estadual de Transplantes (SET) do Paraná conta com os veículos da Central Estadual de Transplantes, além de um veículo em cada Organização de Procura de Órgãos (OPO), localizados em Cascavel, Curitiba, Londrina e Maringá. A estrutura inclui uma equipe de motoristas na capital, além do apoio da rede de transporte das Regionais de Saúde no Interior do Estado e de aeronaves, como no caso da unidade da Casa Militar. O Paraná se tornou referência nacional no transplante de órgãos. Nos últimos quatro anos, foram realizadas 362 missões aéreas de transporte, que somam mais de mil horas de voo. Só em 2022, foram 218 horas de voo em 79 missões. De acordo com o último relatório da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), entidade nacional que faz o levantamento desses números, de janeiro a setembro de 2022, o Paraná registrou 40,3 doações de órgãos por milhão de população (pmp), enquanto a média nacional é de 16,4 pmp. O volume faz do Estado o segundo colocado entre do Brasil com melhor índice de doações.


Imagem:

Casa Militar


Fonte:




16 visualizações0 comentário
bottom of page